Publicidad

Conheça o matemático de 27 anos que está construindo um império de bitcoin


Publicidad







Desde que foi lançada por Satoshi Nakamoto em 2008, a Bitcoin evoluiu rapidamente para se transformar na maneira como imaginamos uma moeda mundial em um mundo digital. Criada por programadores e lançada como software de código aberto em 2009, a Bitcoin é reconhecida como a primeira moeda digital descentralizada, normalmente chamada de criptomoeda, a servir como um sistema de pagamento alternativo entre pares (P2P).

Divergindo das formas de pagamento tradicionais, as transações são diretas entre os usuários, o que elimina a necessidade de sistemas de terceiros, como notas físicas de dólar, moedas ou cartões de crédito. Além disso, as bitcoins podem ser trocadas por outras formas de moeda, produtos ou serviços.

As transações de bitcoin são verificadas por uma rede de nós, depois são registradas de modo público em um livro contábil distribuído conhecido como “blockchain”, o qual autentica bitcoins como unidades de medida monetária, ou dinheiro. A mineração de bitcoin remete às bitcoins criadas como recompensa na qual usuários verificam e registram transações no blockchain. Usuários que mineram com sucesso recebem taxas por transações na forma de novas bitcoins. Em 2005, o número total de comerciantes que aceitaram a bitcoin como moeda ultrapassou 100.000, com usuários pagando taxas de transação inferiores a 2%, em comparação à taxa de processamento de 2 a 3% cobrada por empresas de cartão de crédito. Ainda que caminhando a passos enormes, o setor de Bitcoin tem muita margem para crescer.

Muito parecidas com o ouro, bitcoins podem ser usadas para guardar valor sem serem uma forma tangível de moeda. Mesmo assim, a bitcoin possui um capital de mercado de aproximadamente US$ 12,5 bilhões, enquanto o capital de mercado do ouro é de US$ 7 bilhões. Percebendo o potencial do crescente mercado, um jovem empreendedor abandonou uma carreira profissional promissora para se voltar à criação de um império de bitcoin.

Fundada em 2013 pelo jovem de 27 anos Marco Streng, a Genesis Mining se coloca como a maior empresa de mineração de bitcoin na nuvem do mundo. Com mais de 300.000 clientes diários, a start-up cresceu para se tornar uma potência mundial que emprega mais de 100 funcionários em tempo integral em todas as partes do mundo.

Antes de idealizar a Genesis Mining, Streng estava a caminho de se tornar um matemático, largando a faculdade no meio de seu treinamento para correr atrás de sua ideia de negócio em tempo integral. Streng se juntaria futuramente a dois empreendedores improváveis e começaria a encubar um conceito que reformularia como a geração digital da atualidade realiza compras e acumula riquezas. Se recusando a atrair investidores para conseguir capital semente, Streng lançou um fundo hedge e contratou uma equipe de programadores para criar novos algoritmos de negociação. Agora, a Genesis Mining é respeitada como uma das poucas empresas dentro do setor de bitcoin que criou um modelo de negócio sustentável e altamente lucrativo.

Marco Streng falou em uma conversa sobre sua visão por trás da empresa, o combate ao ceticismo em torno do setor em mudança e seu plano ambicioso de reformular a moeda mundial.

Que lacuna ou oportunidade específica você descobriu e que inspirou a ideia de lançar a Genesis Mining?

Marco Streng: Descobrimos que havia uma escassez de empresas de mineração confiáveis no mercado de altcoin (outras moedas digitais). Não haviam provedores em número suficiente que permitissem aos usuários minerar as moedas que mais lhes interessavam. Depois de estabelecer nossa marca e uma reputação como empresa de mineração confiável, também entramos no ramo de mineração de bitcoin.

Com o crescimento tão rápido do ramo, quais têm sido os maiores desafios ou surpresas que você tem vivido enquanto promove o crescimento de sua empresa?

Marco Streng: A mundo das criptomoedas como um todo se move a uma rapidez incrível. Quase que diariamente, alguma coisa muda no mercado, e temos que adaptar nossa estratégia e empresa nesse sentido. Se você não for inteligente e rápido no mundo das criptomoedas, não sobrevive.

Cada cofundador vem com uma formação muito interessante. Como vocês três se juntaram e com o que cada membro contribui para dar uma vantagem à empresa no ramo?

Marco Streng: Dois de nós têm uma formação em matemática e física; um já tinha experiência de tocar uma empresa. Além disso, todos trouxeram contatos bons e valiosos, como toda a nossa equipe jurídica. O clima entre a gente é muito bom, e em 99% do tempo chegamos rapidamente a um consenso sobre como agir. Todos nós também compartilhamos o mesmo objetivo: tornar esse mundo um lugar melhor para se viver através da difusão da ideia das criptomoedas.

Você viaja pelo menos 30 semanas por ano por todo o mundo para expandir a empresa. Descreva como são suas atividades e como você equilibra as diferentes exigências do trabalho. 

Marco Streng: Temos equipes em todo mundo trabalhando para inovar e melhorar nossos serviços, então um de meus objetivos principais enquanto viajamos é ter a certeza de que essas equipes estejam capacitadas para continuarem inovadoras e oferecendo os melhores serviços do ramo para nossos clientes. Eu também acredito fortemente no fato de que o sucesso das criptomoedas e da tecnologia financeira dependem do apoio da comunidade e da inovação. É por isso que todos os nossos líderes participam e falam periodicamente em conferências do setor para ajudarem a pensar o futuro junto a outros líderes dessas iniciativas.

dez 16, 2016Redação

Comentários

Noticia original en BitcoinNews.com.br


Publicidad
Otros artículos
Cerrar
Cloudminr.io es hackeada y su base de datos puesta a la venta por 1 bitcoin

Cloudminr.io es hackeada y su base de datos puesta a la venta por 1 bitcoin

Otro golpe más a los servicios de minería en la nube. Siguiendo métodos empleados en el robo de 5 millones de dólares en forma de...
A %d blogueros les gusta esto: